A eletricidade renovável

EM PORTUGAL

O crescimento do setor da eletricidade renovável nos últimos anos tem tido um papel fulcral na descarbonização da economia em Portugal, sendo hoje o setor que mais contribui para a redução da dependência energética.

Esta progressão da eletricidade renovável traz consigo enormes benefícios tanto ao nível da redução das emissões de gases com efeito de estufa provenientes dos combustíveis fosseis, com também ao nível do emprego gerado, redução da fatura energética e do desenvolvimento socioeconómico do país.

Potência instalada das fontes de geração de eletricidade em Portugal

(2000-2020)

Fonte: DGEG, análise APREN.

Geração de eletricidade em Portugal Continental

(1970-2020)

A maior utilização dos recursos endógenos e renováveis portugueses para a produção de eletricidade tem alterado a composição do mix de geração de eletricidade em Portugal e tem, consecutivamente, desempenhado um papel cada vez mais determinante na satisfação do consumo. Esta situação foi especialmente evidente em 2020, devido à acentuada queda no consumo de eletricidade resultante da pandemia da COVID-19. No gráfico verifica-se que a partir de 2005 as renováveis têm desempenhado um papel cada vez mais determinante na satisfação do consumo.

Fonte: REN, EDA, EEM, Análise APREN.

Peso das diferentes fontes de geração de eletricidade no mix Português

(2000-2020)

Nota: Este valor percentual refere-se ao total da geração elétrica Nacional.
Fonte: REN, EDA, EEM, análise APREN.

Taxa de dependência energética

(2000-2020)

Fonte: DGEG, 2021, Análise APREN (2021).
Nota: O valor indicado para a dependência energética normalizada para 2020 resulta de estimativa APREN, enquanto o valor real é o valor provisório publicado no Balanço Sintético 2020 da DGEG.

Custos evitados em importações de combustíveis fósseis

(2011-2020)

Fonte: DGEG, Worldbank, ERSE, REN, EDA, EEM, análise APREN.

Contributo das FER-E para a redução das emissões de gases com efeito de estufa

(2011-2020)

A eletricidade renovável permitiu evitar, a nível nacional, emissões de C02 que totalizam 123 megatoneladas de C02-eq entre 2011 e 2020, o que equivale a cerca de 78% das emissões do setor dos transportes rodoviários para o mesmo período. O valor das licenças de emissão de C02 evitadas foi estimado em 426 milhões de euros em 2020.

Fonte: SendCO2, DGEG, ERSE, REN, EDA, EEM, análise APREN.

Emprego gerado pelo setor da eletricidade renovável

(2011-2020)

O investimento no setor renovável tem contribuído significativamente para a criação de postos de trabalho qualificados (diretos e indiretos) e para o reforço da coesão territorial. Este reforço deve-se principalmente à localização de alguns projetos em zonas socioeconómicas menos favorecidas. No final do ano de 2020 estima-se que o setor renovável empregava mais de 55 mil pessoas. Contudo, sublinha-se que estes valores resultam de um estudo macroeconómico desenvolvido em 2019 pela Deloitte, que não tem em consideração o impacto da pandemia da COVID-19, pelo que se espera que o valor real de 2020 seja bastante inferior ao indicado.

Fonte: Estudo do Impacto Macroeconómico do Setor da Eletricidade de Origem Renovável em Portugal, Deloitte, 2014 (2010-2013); Impacto da eletricidade de origem renovável, Deloitte, 2019 (2014-2020).

Contribuição do setor da eletricidade renovável para o PIB

Fonte: Estudo do Impacto Macroeconómico do Setor da Eletricidade de Origem Renovável em Portugal, Deloitte, 2014 (2010-2013); Impacto da eletricidade de origem renovável, Deloitte, 2019 (2014-2020).

Contribuição do setor da eletricidade renovável para a Segurança Social, Derrama e IRC

Fonte: Estudo do Impacto Macroeconómico do Setor da Eletricidade de Origem Renovável em Portugal, Deloitte, 2014 (2010-2013); Impacto da eletricidade de origem renovável, Deloitte, 2019 (2014-2020).